O motor é um elemento essencial para o funcionamento de qualquer automóvel. Não importa se conduzimos um veículo cheio de extras e com a tecnologia mais recente – se o motor falhar, não há nada a fazer.

É por isso que é crucial mantê-lo em perfeitas condições e cuidar dos seus componentes. E uma das maneiras mais importantes de fazê-lo é através do uso de um líquido refrigerador, que conhecemos como anticongelante.

O anticongelante é um dos elementos mais importantes do líquido refrigerador, e controlá-lo é essencial para manter o motor do nosso carro em perfeitas condições.

O que é Anticongelante?

É uma das propriedades do líquido de refrigeração usado nos veículos. Mas não é o único.

Esse líquido também serve para arrefecer o motor, permitindo que trabalhe na temperatura certa sem sobreaquecer.

A composição do líquido de refrigeração é sobretudo água. Isso significa que, se não adicionar um aditivo que dissolva mais facilmente esse líquido, ele poderá solidificar durante os meses mais frios do ano. Além disso, a água é corrosiva, portanto o líquido de arrefecimento deve proteger o motor desse fator com outro tipo de componentes.

Quantos tipos de Anticongelantes existem?

Os anticongelantes têm várias cores, é um corante que é adicionado ao anticongelante para lhe dar uma cor específica, o que indica o tipo de líquido que estamos a usar e quais as propriedades que ele dá ao motor.

Dependendo da temperatura de congelação e do ponto de ebulição atingido, estaremos perante um tipo de anticongelante ou outro. Temperaturas dependem do etilenoglicol, o álcool que é usado ​​no líquido refrigerador há quase cem anos: dependendo do grau de pureza usado no etilenoglicol, o anticongelante pode suportar mais ou menos temperaturas extremas.

  • 10% de etilenoglicol: pode ser usado entre -4ºC e 102ºC.
  • 25% de etilenoglicol: pode ser usado entre -12ºC e 103ºC.
  • 50% de etilenoglicol: pode ser usado entre -37ºC e 108ºC.


Mas os Anticongelantes também podem ser diferenciados em três tipo:

  • Orgânicos: duram mais, atingem temperaturas mais baixas de congelação, protegem todos os elementos do motor da corrosão (incluindo plásticos e alumínio) e são mais ecológicos.
  • Inorgânicos: não são tão completos quanto os orgânicos: duram menos, congelam mais cedo e não protegem todos os materiais que compõem o motor.
  • Híbridos: são apenas utilizados em alguns modelos e as suas propriedades são uma mistura de orgânicos e inorgânicos.

Quando é que devo trocar?

O líquido de refrigeração deve ser trocado de vez em quando ou após um determinado número de quilómetros para que transmita todas as suas propriedades ao motor.

O ideal é fazê-lo a cada dois anos no máximo, ou a cada 40.000 quilómetros, se circular todos os dias.

Qual o Anticongelante que devo escolher?

Para escolher o melhor anticongelante, é preciso ter em conta alguns fatores importantes que o líquido de refrigeração deve ter:

O ideal é fazê-lo a cada dois anos no máximo, ou a cada 40.000 quilómetros, se circular todos os dias.

  • Baixa temperatura de congelação – especialmente se moramos em áreas montanhosas ou muito frias. Ao mesmo tempo, a temperatura de ebulição deve ser alta para que o líquido refrigerador retenha todas as suas propriedades;
  • Baixa viscosidade para ser facilmente transmitida pelo motor;
  • Propriedades anti-corrosivas para cuidar dos elementos do motor;
  • Propriedades anti-incrustantes para que a cal não se acumule;
  • Propriedades anti-cavitação para que não se forme espuma que possa obstruir o circuito;

 

fonte: e-konomista

Gestroil Energy